28/09/2015

Um Rock in Rio para chamar de meu!

Olá, pessoal! Tudo bem? 

Voltei para casa mais cedo que esperava, já que infelizmente não fui no show do Slipknot em São Paulo. Claro que eu não posso reclamar, pois tive a oportunidade de vê-los no Rock in Rio e mesmo sendo o dia mais vazio, que vendeu menos e com alguns fãs bem chatinhos foi ótimo estar lá mais uma vez (terceira vez que vejo um show da banda) para ver uma das bandas que eu mais amo. 

Entretanto a minha jornada de viagem não começou apenas no Rock in Rio. Para quem não sabe eu moro em Botucatu (interior de São Paulo) e antes de ir para o RJ fui para a capital ver algumas amigas e encontrar meu companheiro de viagem. Digamos que a aventura e a canseira começou beeem cedo. Claro que eu amei cada momento. <3

Fui para São Paulo na manhã do dia 24 com meu primo (que decidiu ir de última hora) e encontrei com um colega na rodoviária. Ficamos por lá conversando um pouco até a hora que minha amiga chegou e nós acabamos indo para a faculdade tentar resolver umas tretas do nosso diploma e quando paramos para lanchar acabamos convencendo outras duas colegas que moram ali próximo a faculdade a nos encontrar. Foi super divertido poder rever essas pessoas que há tanto tempo eu não via (por morar no interior e não ter $$ é um pouco difícil ir para São Paulo). A noite fui para a casa de Rodrigo, meu companheiro de viagem e de lá partimos para a rodoviária; Nem preciso dizer que nesse ponto eu já estava sentindo duzentas mil borboletas na barriga, né? Estava muito ansiosa e não via a hora de chegar no Rio de Janeiro. A viagem parece que durou um século mas tudo correu bem e chegamos lá de manhãzinha. 

Da rodoviária seguimos para Copacabana, pois o Slipknot ficou hospedado no Copacabana Palace e gostariamos de tentar tirar fotos com eles (de novo). Infelizmente só conseguimos foto com o Jay, novo baterista da banda, que foi super atencioso com os fãs e não-fãs que apareceram por ali. Fiquei bastante feliz, mas ele ainda é novo na banda e não me conquistou 100%. Mas não posso reclamar, pois das outras vezes que a banda veio ao Brasil eu tirei foto com alguns dos outros integrantes. 

Cortei a cabeça do moço de tão nervosa.
Após a tarde inteira na porta do hotel eu já estava morta e quase desmaiada; Então seguimos rumo a Cidade do Rock. Eu sempre vi carioca reclamando do trânsito de São Paulo e imaginava que no Rio de Janeiro a coisa era bem mais rápida, já que eles gostam de falar tanto; Mas acabou que eu achei o trânsito do Rio muito pior que São Paulo. Acho que levamos cerca de duas horas para chegar na Cidade do Rock usando transporte público. A justificativa é que o ritmo da cidade está mais lento por causa das obras e também pelo horário de pico. Lembro que em 2011 quando fui parece que chegamos muito mais rápido no hotel e na cidade do Rock, mas também por outro lado era domingo e assim a coisa fluiu muito melhor. De qualquer maneira deu para dar uma boa cochilada no ônibus e acabei descansando um pouco antes do show.

Uma coisa mais ~triste~ em relação a viagem é que não aproveitei muito a Cidade do Rock. Assim que chegamos lá fomos comer alguma coisa e nessa brincadeira do FNM já estava entrando no palco. Tínhamos que descolar um lugar bacana para conseguir assistir Slipknot. Acabamos ficando do lado esquerdo do palco, próximo a grade (todo mundo despreza esse lugar nos shows, mas mesmo estando um pouco longe é bem tranquilo de assistir e da para ver a banda no palco sem precisar ficar olhando para o telão). Eu dei sorte pois na minha frente não tinha nenhuma pessoa gigante (só tinha meninas) e eu conseguia ver o Corey, Shawn, Chris, Sid e Vman a maior parte do show. Em alguns momentos Mick e Jim, conforme eles andavam pelo palco. Foi impossível ver Craig e Jay, mas no caso do Jay eu já compensei a tarde com a foto, né? Reclamar eu vou nada!

Eu AMEI o show. Como sempre. Foi a terceira vez que vi Slipknot e parece que cada vez que vejo amo mais e mais a banda e sua apresentação. Pulei, gritei, cantei, quase fiquei sem voz e quase passei mal da asma mas fui forte e resisti até o final. Eu acho que com tanto amor eu não preciso dizer que chorei, né? Muito estranho chorar por uma banda com vários homens usando máscara e cantando umas coisas estranhas, como diz a minha mãe, mas quando começou XIX eu já estava suando pelos olhos igual uma criança. Resisti ao máximo o resto do show (em 2013 eu chorei o show inteiro e não queria ficar chorando de novo) e só voltei a derramar umas lágrimas quando eles começaram a se despedir do público ao som de 'Til We Die. Foi bem triste ter que me despedir deles e agora eu fico sem saber quando eles vão voltar novamente, mas com a certeza de que não importa quando e nem a idade que eu tenha eu estarei lá como se fosse a primeira vez. 

With my face against the floor
I can't see who knocked me out the way
I don't want to get back up
But I have to
So it might as well be today

Depois do show bate a tristeza e canseira, além da viagem de volta pra casa; Mas tudo bem. Aproveite ao máximo e isso que importa. Bom, falei demais nesse post e um assunto que poucas pessoas vão ler. Mas e só senti que deveria contar um pouquinho sobre esses dias que me deixaram tão feliz. <3

6 comentários:

  1. Que bacana! Deve ter sido uma experiencia maravilhosa. Beijos.

    Visite: http://carpediemmica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Sil,
    Que post lindo, adoro ler relatos de fãs.
    Não escuto muito da banda, mas o show deles foi justamente no dia que faltou luz aqui, só voltou três da manhã e nem vi. Lembro que o vocalista disse que quebraria pau de selfie, se visse...ri muito!

    bjs e tenha uma ótima terça.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Nada! Que pena.
      Eu acho que ele deveria ter jogado água nesse povo todo sim, primeiro porque tava calor e segundo que celular só atrapalha o show alheio. Hahah!

      Excluir
  3. Oi Sil, tudo bem?
    Eu sou carioca, sempre morei por aqui, mas nunca fui ao Rock in Rio, acredita? kkkk
    Achei muito legal seu post. Acho que estar próximos de nossos ídolos nos deixa sempre feliz e nos faz bem poder realizar estas pequenas coisas.
    Legal que tenha corrido tudo bem, e que você aproveitou e curtiu bastante.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lia, em 2017 só vai! Tenho certeza que você vai amar.

      Excluir
  4. Oi, tudo bem?
    Fico feliz por você, tanta viajem maravilhosa. Deve mesmo ter sido uma experiência daquelas. Não conheço essa banda ainda, mas irei procurar ouvir umas músicas aqui haha.
    Nossa e ir no Rock Rio não é para qualquer um neh?!
    Já estou seguindo seu blog, abraços!
    http://leit0res.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.