16/12/2015

Resenha: Prodigy




Título: Prodigy (Legend #2)
Autor: Marie Lu
Editora: Rocco
Páginas: 303
Compre: Americanas | Amazon
Mais informações no Skoob

Sinopse: Os opostos perto do caos. Depois que um cataclismo atingiu o planeta Terra, extinguindo continentes inteiros, os Estados Unidos se dividiram em duas nações em guerra: a República da América, a oeste, e as Colônias, formadas pelo que restou da costa leste da América do Norte. June e Day, a menina prodígio e o criminoso mais procurado da República, já estiveram em lados opostos uma vez. Agora eles têm a oportunidade de lutar lado a lado contra o controle e a tirania da República e, assim, alterar para sempre o rumo da guerra entre as duas nações. Resta saber se estão preparados para pagar o preço que as transformações exigirão deles.

Essa resenha é livre de spoilers

Geralmente o segundo livro de uma trilogia é sempre o mais chato de todos e acaba recebendo muito mais criticas negativas. Isso não acontece com Prodigy. Este livro tem um ritmo muito mais intenso do que o primeiro e a expectativa pelos próximos acontecimentos aumentam a cada capítulo e ao contrário do meu comentário na resenha de Legend neste volume os personagens acabaram passando por coisas que os fizeram amadurecer de uma maneira diferente. 
Foto: Silviane Casemiro | Estilhaçando Livros
June não está mais na República e tem que lidar com a dificuldade que é aceitar sua nova condição de vida. Por mais que tenha escolhido trair sua nação ainda lhe dói muito estar do lado oposto, mesmo que em alguns momentos ela não se dê conta disso realmente. Muito me agradou alguns momentos em que ela se questiona sobre sua lealdade e fica em dúvidas. Achei que a escolha da autora de conduzir a personagem dessa forma foi excelente para dar mais credibilidade a história, pois ficaria muito difícil aceitar que a personagem mudou de lado tão rápido. Day também estará em um processo de mudança sobre o seu lado da história. Ele nunca foi a favor da República e tão pouco dos Patriotas e agora teve que escolher trabalhar a favor de um deles para poder ter seu irmão de volta. Ele sabe muito bem o que quer e o que não quer, porém ao longo da história, devido há alguns acontecimentos, ele vai analisando um outro lado que nunca antes considerou e gera alguns momentos bons e ruins na história. 

O romance nesse segundo livro permanece em segundo plano. Por mais que os sentimentos dos personagens um pelo outro seja mais evidente em seus pensamentos isso pouco se reflete em suas atitudes. Por um lado isso torna a leitura agradável, mas confesso que senti um pouco de falta disso mesmo que eu não goste de vê-los juntos (pois é, não acho que eles sejam um casal tão legal para shippar). Um outro personagem foi inerido na trama e com ele surge um pseudo triângulo amoroso. Eu digo dessa forma pois não acredito muito que a presença dele irá causar grande mudança nos sentimentos de June, mas confesso que shippei muito mais ela com Anden do que com o próprio Day. 
Quando chegar a hora de um novo Primeiro Eleitor, o país deve lembrar às pessoas que se concentrem no aspecto positivo. O luto gera fraqueza e caos. Seguir em frente é a única maneira.

Infelizmente neste livro Thomas me decepcionou muito mais do que no primeiro, mas ainda assim eu gosto bastante dele. Por mais que tentei odia-lo pelas coisas que ele fez eu ainda tenho uma admiração por este personagem. Achei bem legal a autora criar alguém tão fiel e leal a República a ponto de se deixar cegar, a ponto de deixar a sua própria vida de lado e uma chance de ser feliz, sabe? Alguém tão fiel as suas leis que foi capaz de abdicar ao amor por isso. Não é o ideal, eu sei, mas é admirável. 

Ainda bato na mesmo tecla sobre o problema que eu tive com a idade dos personagens. Neste segundo volume eu fiquei inconformada com uma atitude da Tess e por mais que hoje em dia temos garotas de 13 anos namorando, saindo por ai e bebendo, ou até mesmo engravidando eu não aceito muito bem esses tipos de atitudes em alguém dessa idade. Eu não consigo imaginar os personagens dessa história sendo tão jovens. Pior que eu estou habituada a ler livros onde eles são tão novos, mas em Legend isso me incomodou demais. 

Neste livro temos muito mais combate politico e várias explicações para conceitos e atitudes referentes a República. Uma coisa que me chamou bastante a atenção é a forma como a República se assemelha muito com a Coreia do Norte. Eu não havia percebido essa semelhança anteriormente, mas conforme eles comentam sobre não existir noticias sobre o resto do mundo, e que o governo faz várias propagandas de si mesmo, dentre outras coisas eu acabei notando as semelhanças. Não sei se foi intencional ou não, mas me deixou pensando em algo como: Nós gostamos de ler distopias e sempre vemos ela como sendo algo exclusivamente do nosso futuro, mas será que ela não está acontecendo - de certa forma - agora? Pode até não ser no nosso país, mas em outro... Enfim, continuo adorando os livros. Atualmente estou lendo Champion e sofrendo bastante com o que esta acontecendo, então é por essas e outras que eu coloquei  ao lado da minha avaliação. Continua com 4 estrelas pois tem uns porém que ainda equivalem ao que eu disse sobre o primeiro livro e outras coisas que não citei pois acaba sendo um spoiler. Além, tem outras coisas que eu gostaria de comentar, mas como entram em spoiler eu acabei deixando de lado.

+ Quotes
A ironia da história toda me da vontade de rir. Day é um soldado da República a bordo do RS Dynasty, e eu sou a prisioneira mais valiosa da República. Trocamos de lugar.
─ Eu não sou uma marionete. Mas se eu ficar sozinho, se for o único que restar, não vou poder mudar nada. Se permanecer sozinho, serei mesmo igual a meu pai.
Mesmo depois de trair a República, pessoas da elite como June conseguem tudo sem nenhum esforço, enquanto pessoas como eu sofrem. 
Mas só agora faço a distinção: desprezo as leis da República, mas amo a República. Amo o povo. Não estou fazendo o que estou fazendo pelo Primeiro Eleitor; estou fazendo por eles. 

11 comentários:

  1. Olá :)
    Essa trilogia é de abalar mesmo!
    De certa forma a idade dos personagens também me incomodou um pouco, vai entender rsrs

    Bjks,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Essa trilogia é muita boa!! Sou viciada e já li todos os livros, só não sou muito fã do último, mas na maioria das vezes não curto conclusões.

    http://whoisllara.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Sempre fico observando as capas dessa trilogia, acho legal.
    Eu ainda preciso ler o primeiro livro, talvez em PDF, quem sabe...
    Ótima resenha, como sempre! :)
    http://letrasfloresecores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Sil!
    Minha vida se iluminou quando vi que era livre de spoiler haahahha
    Boa parte das séries caem na Maldição do Segundo Livro. Já vi poucas se salvarem. Ainda bem que Legend se salvou porque até agora só li o primeiro e quero muuuuito terminar essa trilogia.
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe da promoção Natal do Babado

    ResponderExcluir
  5. Oi flor! Ahhhhh já tem resenha de Prodigy <3 KJBASIFBSABABAOU
    Como você disse, eu amo como a Marie trabalhou o Thomas. Construir personagem fiel a uma ideia ou a um governo é uma das coisas mais difíceis que tem, especialmente fiel a um regime que não é o ideal. O trabalho dela com o personagem foi maravilhoso :')
    MA COMO ASSIM TU NÃO ACHA LEGAL SHIPPAR JAY? SKJNAOUBAOUGBAOUGA Mulher do céu, eles me causaram tanto rebuliço nesse livro. E O FINAL!!!!!!!!! Estilhaçou meu coração de shipper, mas foi uma dor boa.
    Amei a resenha :') Espero suas reações com Champion!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    http://www.queriaestarlendo.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Confesso que nunca tinha parado pra ler nada referente a essa série (fora a sinopse, claro) porque nunca havia me atraído mas agora fiquei curioso. Amo quando o autor consegue criar um ambiente excelente numa primeira obra de uma série e, na segunda, consegue melhorar o que já estava bom. Adicionados ao "quero ler" do skoob! :)

    Visite: Cantina do Livro

    ResponderExcluir
  7. Oi Sil!
    Já vi as capas desta trilogia várias vezes, esta é a primeira resenha que leio e fiquei curiosa sobre toda a série. Parece ser uma distopia bem intensa e cativante, apesar de ter deixado a desejar em alguns pontos. Gostei, também, dos trechos que você selecionou. :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com

    Está rolando novo sorteio no blog! Em parceria com a Giz Editorial, estamos sorteando um exemplar do romance histórico nacional Jardim de Espelhos, de Verdiana Maenaka. Estou avisando pois lembro do seu grande interesse pela obra, na resenha, e adoraria ter a sua participação. Clique aqui e participe.
    Desculpe se estiver incomodando <3

    ResponderExcluir
  8. Essa trilogia é fantástica! E Prodigy e o meu favorito!
    Sua resenha ficou incrível!

    Tô te seguindo... E adoraria receber sua visita lá no meu cantinho!

    Beijos!
    Fabi Carvalhais
    http://pausaparapitacos.blogspot.com.br | @pausaparapitacos | facebook.com/pausaparapitacos

    ResponderExcluir
  9. Oie Sil =)

    Pelo visto você é uma daquelas pessoas que quando começam a ler uma série não largam ela até terminar. Eu sou assim, mas como seriados de TV rs... não largo até ver o ultimo episódio. Quero muito ler essa série, quem sabe em 2016 eu não consiga ^^

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  10. Olá, Sil!
    Eu comprei o box e logo irei iniciar a leitura, que bom que o livro não decepciona! Vejo muita gente reclamando da idade dos personagens, vou ler imaginando uma outra idade para eles! rs

    http://blogexplicita.blogspot.com.br/

    Participe do sorteio de um livro no meu blog: http://goo.gl/i03FzM

    ResponderExcluir
  11. Oie! Tudo bom? Primeiro, queria dizer que seu blog é lindo demais! Já estou seguindo. Agora, vamos falar de prodigy. Você acredita que eu terminei Legend já vai fazer quase um ano e nunca li esse livro?? Pois é. Me sentindo péssima agora haha. Mas, então... eu tenho um grande problema, quase que uma "perda de memória recente". Sem brincadeira nenhuma, eu quase não lembro do que acontece em Legend, e por isso fico com um pouco de preguiça de pegar Prodigy e ter que dar um jeito de relembrar tudo, sabe? Mas, com tantos elogios, vou tentar mandar essa preguiça pra longe e ler esse livro. Sua empolgação me contagiou. Era disso que eu tava precisando. Um empurrãozinho haha

    Beijos,
    Ana.
    http://nasuaestanteblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.