12/01/2016

Resenha: Corte de Espinhos e Rosas



Título: Corte de Espinhos e Rosas
Autor: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 434
Compre: Submarino
Mais informações no Skoob
Sinopse: Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance.
Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.

Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... ou Tamlin e seu povo estarão condenados.

Eu amo releituras de contos de fadas, e ainda desejando ardentemente esse livro, não fiquei muito empolgada por ele ser de elfos. Mas enquanto eu ia lendo até que fui gostando. E o que posso dizer? Fazia tempo que não me via vidrada assim por um livro. 

De início nós nos deparamos com uma grande fome perpetuando por algum tempo, com Feyre caçando comida no bosque infestado de neve e impossibilitado de levar comida para sua família. Esta que, consistia pelo pai ingênuo e suas irmãs, Elain e Nesha, com suas qualidades e defeitos. Assim como no conto, Feyre é corajosa e responsável como a Bela, da mesma forma que suas irmãs são fúteis e ingratas. Foi isso o que uma primeira impressão me passou, mas depois eu as entendi melhor e elas já não me pareciam mais fúteis e ingratas.

Por causa da fome Feyre adquiriu o físico esquelético e deprimente, mas mesmo assim não anulava a impotência com que ela e seu arco caçavam em meio a lobos, uma floresta macabra  e presas fugidias. Seria só mais um dia comum se não tivesse aparecido um lobo. Não qualquer lobo. Ele parecia feérico, o que seria muito ruim, mas não tinha como ela ter certeza. Matando-o, além de salvar as pessoas da vila salvaria a si mesma. E então ela atirou nele. Confesso que nessa parte, a frieza que ela o acertou uma segunda vez só por “precaução” me deu um pouquinho de dó. O que é típico da minha parte, odeio animais sofrendo. Acho que se ela o tivesse poupado teria passado batido. Mas ela o matou por duas razões: para a corça que ele caçava ficar para ela e por simplesmente querer matá-lo porque ele era feérico, vindo de uma terra e de um povo que destruiu o dela. 

E então uma besta vai atrás dela em sua casa em troca de uma vida por outra. Nossa, que fera! (suspiros) que entrada triunfal! Enfim, voltando para a história, ele a leva para Prythian, para um lugar mortal para um humano e que jamais nenhum dele pisou os pés. E é aí que a história começa de verdade. E nesse ponto que comecei a ficar ansiosa. Quando os mocinhos aparecem é o melhor momento mesmo, obrigada, mesmo o mocinho aqui sendo um lobo do tamanho de um cavalo. Ainda mais depois quando a besta se transforma em um homem de cabelos dourados e orelhas pontudas. Não qualquer homem. O Grã-Feérico, o guerreiro, o tudo.<3 E a partir de agora o chamaremos apenas de Tamlin. E então ele mantém Feyre sua convidada meio que obrigada em troca pela segurança da sua família.
Nós nos aproximamos da escadaria curva que dava na mansão, e por fim, perguntei:
— Lucien sai para a patrulha da fronteira, e você mencionou outros sentinelas, mas nunca os vi por aqui. Onde estão todos?
— Na fronteira. — falou Tamlin. Como se aquilo fosse resposta o suficiente. Então ele acrescentou: — Não precisamos de sentinela se estou aqui.
Porque ele era letal o suficiente. 

Em alguns (incontáveis!) momentos eu ficava muito aflita com algumas atitudes que Feyre tomava, indo prontamente para o perigo. E até a achei teimosa e impulsiva, eu que detesto catalogar personagens. Porque vamos ser sinceras, se os personagens não fossem dessa forma não teria ação. Enfim, não tem como não gostar da personagem principal. Ela não é reclamona, não é desdenhosa e nem sarcástica ao extremo. Tudo nela é na medida certa. Definitivamente, você se importa com ela. Da mesma forma que você se importa com o Tamlin. Ele é como os mocinhos costumam ser, gentis, prestativos, cavalheiros, apaixonados e blá, blá, blá. Impossível não se apaixonar. Feitos justamente para se apaixonar, o que eu não sei se é bom ou ruim. Mas enquanto não decidia, ele até que era legal. Bem, essa era a sensação que eu tinha enquanto lia. Depois que terminei o livro senti que faltava alguma coisa para eu me apaixonar completamente por ele. Tenho problemas com personagens masculinos construídos em meio a ideologias femininas. Tenho problemas com vender uma única imagem representando os mocinhos.

Porém, por Feyre se ver presa na corte do Grã-Senhor, até pelo menos na metade do livro a história se passa dentro da casa com encontros de Feyre com Tamlin, Lucien (o emissário do Grã-Senhor e amigo), algumas conversas com a serva Alis, algumas pinturas na sala de arte, jantares, e mais conversas. E só isso. Acho que esse banquete de “mocinho” por mais satisfatório que seja enjoa um pouquinho. Mas não tanto, é claro. Você não consegue realmente se cansar do casal, embora eu ache que ter cortado algumas cenas e assim reduzido o tamanho do livro fosse melhor. Talvez seja o meu eu objetivo falando, que chego a ser objetiva a ponto de ser um defeito.

Até esse momento estava tudo fluindo bem, nem consegui dormir pensando na história. Mas quando chega na grande reviravolta é meio que frustrante, aí pra lá adiante ficou um pouco chato. Feyre caminha até o castelo do inimigo com suas armas para salvar Tamlin e Lucien e quando chega lá ao invés de uma tentativa de assassinato por parte dela ou dos outros, recebe três tarefas para salvar todos. E... antes ela tem que ser uma serviçal no castelo. Sério? Não pode ir às tarefas logo de uma vez e acabar com tudo? Ah, e ela também, mesmo prisioneira, foi convidada a ser a acompanhante de um outro Grã-Feérico numa festa durante todas as noites, incluindo ficar bêbada e dançar. É frustrante porque a grande vilã manda matar a família que Feyre deu o nome falso ao invés do seu e decapita um elfo a sangue frio. Uma vilã assim, você meio que espera coisas terríveis, mas você não sente isso. Você não teme o medo se aproximar, e isso é frustrante. Foi como um livro que li que tudo de mau acontecia às pessoas em volta e nada para a protagonista. 

No começo realmente o livro me pareceu algo novo, excitante, mas depois esfriou e não teve nenhum diferencial. Da metade pra lá ficou cansativo sem grandes eventos e o final não foi excitante tanto quanto o início. Acho que se não tivesse inserido todos aqueles prelúdios e distrações enquanto ela estava prisioneira no reino inimigo não teria deixado o “grande final” fraco. Se Feyre tivesse chegado lá logo feito o que era para fazer e acontecido todas as coisas seria mais excitante para mim. Talvez tenha sido isso que não me fez ficar ansiosa para o próximo livro, que me fez pular partes e revirar os olhos por algumas coisas. De qualquer forma é uma boa leitura, um bom passatempo e um bom investimento.   

obs: talvez você queira começar a ler esse livro quando não tiver absolutamente nada pra fazer no dia seguinte por correr o risco de seguir a maratona dessas 434 páginas sem parar. 

19 comentários:

  1. Oii. Tudo bem?
    Adorei a resenha! Não conhecia o livro e lendo o que você falou me deu uma vontade de ler. Bateu até uma saudade de contos de fadas.
    Beijos.
    sonhardevaneios.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ahhh, hoje mesmo publiquei uma wishlist no blog e adivinha só que livro estava lá...? hahahaha
    Pena que você não gostou muito e que a história esfriou, ainda assim continuo desejando pra poder conferir por mim mesma.
    Ótima resenha, Viviane!
    Beijosss
    www.vidaemmarte.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gente amo livros baseados em conto de fadas. E um dos meus prefiridos é justamente A Bela E A Fera, ou seja preciso muito ler esse livro.
    Sua resenha me deu ainda mais vontade.
    Beijo

    www.tecontopoesia.com

    ResponderExcluir
  4. Olá :)
    Todo mundo ta falando que a leitura é um tanto quanto cansativa, mas ainda assim pretendo ler.
    Beijos,

    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Mesmo com as baixas e frustrações que você citou, achei bacana a proposta do livro em geral, também amo releituras de contos de fadas. Vou apostar nesse livro :) | Zombie Effect

    ResponderExcluir
  6. Oi, Sil!
    A sua resenha é a primeira que vejo que desanimou com o livro. As outras, todo mundo idolatrava. Sabia que tem algo errado hahhahahhahaha
    Bom saber algumas resenhas apontando alguns erros porque são mais próximas da realidade.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Olha eu amo releituras de contos de fadas, eu ja tinha interesse de let esse livro, mais agora, depois da sua resenha, me despertou curiosidade, você acredita?! Ja quero ler, amei sua resenha. Beijos
    http://mficticio.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  8. Que resenha maravilhosa Sil, adorei e fiquei com muita vontade de ler.

    Visite: http://carpediemmica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. MEU DEUS! É indescritível a minha ansiedade para ler algo da Sarah J. Maas, após a minha crise de ansiedade com Trono de Vidro, agora temos Corte de Espinhos e Rosas. Não preciso falar que amo esses recontos dos contos de fadas, não é mesmo? Neste livro, Sarah consegue nos envolver em uma trama muito boa, mesmo me parecendo um pouco com Divergente e Jogos Vorazes, a autora consegue ter seu lado positivo e original. Com mais uma personagem feminina forte, ela conquista muito. Quero este livro pra ontem.

    ➸ Participe do nosso Top Comentarista ❤! | arafaelagodoy.com.br

    ResponderExcluir
  10. Estou louca por este livro, porém ainda não tive a oportunidade de comprar, sua resenha ficou ótima e adorei seu ponto de vista.
    Adoro livros que não consigo desgrudar sabe? ficar ansiosa como você ficou,
    bjus

    ResponderExcluir
  11. Olá Viviane
    Ótima resenha
    Eu gosto muito desse estilo de leitura, mas essa história não me chamou a atenção a começar pela capa que eu não achei bonita.
    Mas quem sabe futuramente eu anime de ler.

    Beijos
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi
    pena que você não curtiu tanto esse livro, também gosto de releituras e ando curiosa para ler ele, deu para sentir que você foi bem sincera na resenha, mesmo você tendo achado que ficou meio chatinho ainda quero ler, gostei da sua resenha.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Sil! Eu não sou muito chegada em feéricos e afins, mas neste livro eles levaram meu coração. Acredito que isso se deu ao fato de serem mais maduros e com uma personalidade bem forte.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  14. Eu particularmente não tenho nada contra elfos, mas também não é meu estilo de leitura favorita. A capa é super linda, e adorei a sua resenha, mas ainda não sei se leria haha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Isla e o final feliz", vem conferir!

    ResponderExcluir
  15. eu sou suspeita, amo livros de contos que retratam magia, fadas e ate os elfos hehe a capa é linda tbm. Eu nao tenho lido nada nesse estilo a um tempo e deu vontade de procurar algum nessa vertente.
    lindo seu blog :D

    http://www.jacknuit.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Desde que vi esse livro, quero lê-lo, mas de uns tempos pra cá, tenho lido tantas resenhas que fico com a sensação que já o li, às veze,s para mim como leitora, fica cansativo. Por isso, não o comprei. eu apreciou muito livros que trazem a temática de contos de fadas. No momento, estou relendo Mulheres que correm com os lobos, conhece?

    ResponderExcluir
  17. Amei a resenha, sabe aquele comichão de vontade de querer ler? foi o que senti, parabéns pelo blog lindo
    bj bj
    http://p3ssoasdepapel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Oii,

    Estou muito interessada em ler esse livro.
    Sempre vejo comentários bem positivos sobre ele, e com a sua resenha minha curiosidade com a história só aumentou.
    Já vou colocá-lo em minha lista de desejados.

    beijos

    ResponderExcluir
  19. Oiiie
    Muito legal a resenha e essa capa é simplesmente linda, eu leria o livro se tivesse oportunidade por ter ouvido muitos elogios apesar d não ser o que costumo ler, bela dica

    BEIJOS
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.