22/03/2016

Resenha: O Livro das Coisas Perdidas

Muito raramente eu vou na livraria e compro um livro aleatório. Eu levo pra casa um que eu já conheça, que já tenha lido alguma resenha ou ouvi falar um pouco da história. Esse livro foi um caso de exceção. Me chamou a atenção o título e aquele duende meio macabro, e esse ar da capa de conto de fadas. Na sinopse já diz que David tem doze anos, e isso naturalmente teria me desanimado – mas não sei o que aconteceu. Abri o livro e folheei, e vi que ele continha anões, Branca de Neve e um lenhador. E foi o bastante pra eu levá-lo pra casa. 




Título: O Livro das Coisas Perdidas
Autor(a): John Connolly
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 364
Onde comprar Submarino
Mais informações no Skoob
Após a morte da mãe, David, de 12 anos, passa a maior parte do tempo em seu quarto tendo com os livros como companhia. Quando eles começam a sussurrar para o menino, realidade e imaginação se misturam até que, ao brincar no jardim, entra em um reino encantado, onde encontrará heróis, monstros e um rei fracassado que guarda seus segredos em um livro misterioso. John Connolly, em O Livro das Coisas Perdidas, desconstruirá fábulas conhecidas, como A Branca de Neve e os Sete Anões e João e Maria, por meio de muita imaginação e mistério. Um livro para todas as idades que virou mania quando lançado na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos.

David tem doze anos e acaba de perder a mãe. Se não fosse ruim o bastante, seu pai encontra uma nova mulher, e David tem que lidar com essa nova família quando nem superou a morte da mãe ainda. Mas não foi a partir daí que a vida dele mudou. Foi quando os livros começaram a falar e vozes surgirem em sua cabeça. Porém, esse não era o problema real. Não, não. Rose, sua nova mãe, estava grávida. E tudo começa a dar realmente errado quando um duende, o ladrão de crianças, aparece para David.

David no começo é egoísta por não aceitar a felicidade do pai quando a mulher já estava morta, e não aceitar Rose por não querer que ela ocupe o lugar de sua mãe. Ele a odeia. E ela verdadeiramente o ama. Ele odeia o irmãozinho quando ele era apenas um nenenzinho.  Bem, e então numa noite David ouve sua mãe chamá-lo para além dos muros da sua casa e que o leva para um portão para um novo mundo, partindo então para salvar sua "suposta mãe". E que eu senti o cheiro de burrada logo de cara!

Nesse mundo David encontra um Lenhador que o salva e o leva pra sua casa. Ele é caçado por lobos-homem, os Loups. Não são lobos de verdade nem homem, embora andem sob duas pernas. E no decorrer disso, ele encontra trolls e os anões da Branca de Neve. Porém a Branca de Neve não é aquela fofa que a gente conhece. Também não que ela seja má; ela só explora um pouquinho os anões. Nesse livro quem tenta matá-la não é a Rainha Má, mas os anões. E eles são muito engraçados.  Bom, acontece que David encontra muito seres fantásticos nessa sua busca pela mãe, que realmente não dá pra eu ficar enumerando todos. Quero ir ao ponto principal. Pois bem. E então no meio entre um encontro com a maior vilã de todas, a feiticeira, David encontra finalmente com o Homem Torto, e entre se salvar ele terá que entregar seu meio irmão. Se ele fizer isso, ele também deixará George e dezenas de crianças em posse do duende.
Aqueles que lhe são valiosos – esposas, filhos – tombarão ao seu lado, e seu amor não será suficiente para salvá-los...
Pag. 359

Bom, esse é um dos meus livros favoritos. Pode parecer infantil, pela idade do personagem principal, ou pelos elementos que citei, mas como deu pra notar pela capa, e realmente é, o livro tem um tom muito mais sombrio do que um livro de criança deveria ter. E também a mensagem dele não é para crianças propriamente nem os eventos. Por exemplo, tem até um caso de pedofilia, quando a feiticeira tenta abusar do David, por mais que tivesse sido um pouco menos explícito. Tudo nesse livro é tenebroso e brutal. Porém, porém, porém, a mensagem final desse livro é a mais linda de toda a história dos livros. Sério. Mesmo. INFELIZMENTE não posso dizer o desfecho, o sentido do fim do livro, mas posso dizer que é o mais surpreendente que você possa imaginar. Eu chorei realmente com esse livro.  Ele é doloroso. E mágico, ao mesmo tempo. Bem, é um livro de criança que não é destinado pra crianças, apesar de ser indicado pra todas as idades - o que eu não concorde muito (Esse é meu lado do Estatuto da Criança e do Adolescente falando).

David encontra muitos amigos que o transformam em sua jornada. Mas, ao contrário da realidade da vida, David pelo menos teve apoio de algo mágico. Essa lembrança. Essa recompensa. David terminou como alguém diferente do que foi no começo. E o final, por mais real, conseguiu ser encantador e definitivamente e irrevogavelmente inesquecível.
Pois toda a duração de uma vida não era, naquele lugar, mais do que um momento, e cada homem sonha com o próprio paraíso. E, na escuridão, David fechou os olhos, e tudo o que estivera perdido foi descoberto novamente.
Pag. 363

8 comentários:

  1. Oi, Sil!
    Quando esse livro foi lançado, vi muita gente elogiando, mas deixei passar.
    Eu adoro quando um livro que parece infantil não é.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio Mês das Mulheres em Dobro
    Porcelana - Financiamento Coletivo

    ResponderExcluir
  2. Sempre vejo esse livro nas livrarias e fico naquela de "levo ou não levo?", pois ele sempre me chamou atenção, mas acho que nunca atenção o bastante a ponto d'eu comprá-lo hahaha
    Sua resenha foi tão positiva que estou arrependida de não tê-lo comprado antes, rs.

    Mago e Vidro
    | Sorteio DamnedGirls | NOVE livros pra você!

    ResponderExcluir
  3. Oie Sil =)

    Ah! Faz muito tempo que quero ler esse livro, mas nunca consigo encaixar ele na minha lista de leitura. Só sei boas resenhas e isso me deixa cada vez mais curiosa.
    Espero não me decepcionar.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  4. Oi, Viviane
    Não conhecia esse livro, mas achei sua resenha bem interessante. Fiquei pensando se o pai do protagonista estava tendo um caso antes da mãe dele morrer e já fiquei com raiva dele mesmo sem saber se era isso mesmo kkkkkkkk
    E como assim, pedofilia :O de fato não é um livro lá muito infantil, hein
    Fiquei curiosa com a tal mensagem final!

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras| CONCURSO CULTURAL: escolha um nome, ganhe prêmios

    ResponderExcluir
  5. Amei a resenha!
    Sinto que vou chorar mt no final, pelo que vc disse hahahaha
    Beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=GXx7jPpQzrM

    ResponderExcluir
  6. Oi Sil,
    Tudo bem?
    Já tinha visto esse livro nas livrarias mas confesso que não me chamou tanta a atenção.
    Apesar da capa e premissa muito boa, não é um livro que leria no momento :|
    Parabéns pela resenha *-*
    Bjs
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  7. "Eu chorei realmente com esse livro. Ele é doloroso. E mágico, ao mesmo tempo.": disse tudo sobre esse livro. Ele também é um dos meus preferidos, é daqueles livros que me abraçam e eu abraço eles. Tenho um carinho enorme por essa história e trouxe ele para minha vida exatamente como você, fui na livraria e comprei de forma um tanto aleatória, detalha, foi com o dinheiro que meu irmão mais novo me deu de presente de aniversário... Me diga se nesse mundo tão difícil no qual vivemos não existe qualquer coisa de mágica!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente, definitivamente não existe a possibilidade nenhuma de não conter mágica alguma pra compensar esse mundo tão cruel! <3

      Excluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.