09/06/2016

Heroínas feministas das HQ's


Se você é menina padawan nessa coisa de ler quadrinhos e ainda acha que o gênero se resume a super-heróis, machistas e excludentes em sua grande maioria, com milhares de músculos ilustrados de forma exagerada e desproporcional, cuecas por cima das calças e roteiros impossíveis de serem acompanhados, bem, você está certa.
Mas existem as super heroínas, mesmo que com roupas exacerbadamente curtas e sexys que nunca na vida as possibilitaria de lutar com qualquer pessoa que seja, mesmo assim elas estão lá. Para fazer um breve resumo; as super-heroínas clássicas foram criadas nas décadas de 40-50, incluindo personagens que mais tarde se tornariam icônicas e famosas como nossa Mulher Maravilha e até mesmo a Supergirl. Todas elas, nessa época, foram criadas por roteiristas e artistas do sexo masculino para um público essencialmente masculino. Como toda a arte, as histórias em quadrinhos também refletem seu tempo, de modo que, a forma como as mulheres foram retratadas na mídia em questão,ou seja histórias, roupas, atitudes tudo refletia os acontecimentos da época e o pensamento de seus criadores. Já nos nos anos 60-70, com a segunda onda do feminismo, começamos a ver algumas pequenas melhorias aqui e ali, tais como a transformação da Garota Marvel em Fênix (com um boost considerável de poderes), e uma mulher de QI elevadíssimo como um dos membros fundadores dos Vingadores, como é o caso da Vespa, por exemplo, apenas citando algumas.Apesar da esmagadora falta de profissionais mulheres no mercado de HQ naquele tempo e com e por isso, a crescente falta de interesse do publico feminino no gênero, ainda, no finalzinho dos anos 70, começo dos 80 vimos lampejos de diversidade com heroínas como a diva disco Cristal e a rainha negra de Wakanda, Tempestade, citando um exemplo de heroína negra mais conhecida do grande público, apenas. Porém, apesar de décadas de sexismo e machismo nas HQs, existem hoje MUITAS mulheres e muitos títulos que estão mudando o mercado, trazendo renovo, personagens femininas empoderadas e empoderadoras, disseminando o feminismo, representando diversidade de gêneros, etnias, credos, opiniões, abrindo caminho nessa mata cerrada de intolerância e misoginia do meio nerd, mostrando que as mulheres sim, tem vez, tem voz, como produtoras e criadoras de quadrinhos e como consumidoras. Estamos e sempre estivemos aqui.
Então separei algumas heroinas que estão ali pra representar o poder feminino no mundo.

  • Red Sonja


Red Sonja é uma personagem criada por Roy Thomas para Marvel Comics, inspirada em contos de Robert E. Howard e ligada ao universo de Conan, o Bárbaro. Ela foi livremente inspirada em “Red Sonya de Rogatino”, do livro de Howard, “The Shadow of Vulture”. Atualmente é publicada pela Dynamite Entertainment em histórias magistralmente escritas por Gail Simone, onde ela simplesmente f#de com a raça do mal and THERE’S BLOOD, BABY. Recentemente a personagem também voltou a ser notícia por ser alvo de críticas machistas por conta de seu uniforme, que foi reformulado, ideia de Simone para livrá-la da sexualização, já que o antigo era um simples biquíni de aço. Arrasou.




 
Red Sonja Vol. 1, “Queen of Plagues,” de Gail Simone e Walter Geovanni. (Dynamite Comics)

  • Batgirl

Batgirl já foi várias garotas: Cassandra Cain, Helena Bertinelli, Bette Kane e Barbara Gordon. Criada por Bob Kane nos anos 60 para ser um dos sidekicks de Batman, hoje Barbara Gordon é um sucesso, apontada com um dos principais destaques feministas entre as super-heroínas. Após se recuperar de uma lesão na coluna que a deixou paralisada por três anos, Barbara se forma em psicologia forense na faculdade e tenta viver uma vida típica de uma garota de 20 anos em Burnside, uma “versão” de Gotham, no Brooklyn, NY. Ao mesmo tempo, caça um psicopata que envolve mulheres em pornografia na internet e usa jaqueta de couro e coturnos Doc Martens ♥.E uma dica, a saga começa com Brenden Fletcher, mas Gail Simone (que já tinha arrasado em Birds of Pray) assume depois. Apenas leia!

“The Batgirl of Burnside,” volume 1 – Cameron Stewart, Brenden Fletcher e Babs Tarr (DC Comics)

  • Faith Herberth
Faith Herbert é uma das apostas mais ousadas da nova editora Valiant e da carreira do autor Joshua Dysart. Uma adolescente nerd, solitária, leitora de quadrinhos e que sofre de obesidade, escrita de uma forma tão natural, desnuda de estereótipos e real que fica impossível não se apaixonar pela personagem e pelo que ela representa. Não há nada forçado em Faith que faça o leitor se compadecer ou torcer por um arco de superação de adversidades, pois a jovem é um exemplo de auto-aceitação, positividade e uma declaração ao mundo de que ser você mesma é o que te faz ser especial. Faith ainda serve como bússola moral de sua equipe e geralmente é a voz da razão que guia os planos e equilibra as coisas no grupo. Recentemente a personagem foi recrutada para a equipe dos maiores heróis da editora Valiant, chamada “Unity”. Faith Herbert é um ícone da nova nerd, e a nova nerd não poderia estar melhor representada.

 
Harbinger #4 (2012) por Joshua Dysart e (Valiant Entertaiment)

  • Thor
Uma das mudanças mais radicais que a Marvel fez em seus quadrinhos nos últimos tempos, foi tornar o Filho de Odin indigno e uma mulher levantar o Mjölnir em seu lugar. E ela não é She-Thor, Miss Thor ou Lady Thor; ela não é uma ajudante ou a versão feminina de Thor. Ela é THOR!

O que poderia ser apenas uma mudança no sexo do personagem principal se tornou rapidamente um símbolo deempoderamento feminino. Ela é abertamente feminista, tendo inclusive ensinado lições aos seus inimigos por terem associado o feminismo a algo ruim. Embora tenha dúvidas no início de sua jornada, Thor logo assume seu lugar de direito, enfrentando até mesmo o Filho de Odin em certo ponto. E o mais interessante sobre ela é que sua origem é humana. Quem levanta o martelo é Jane Foster, outrora apenas um interesse amoroso do Filho de Odin, provando que nós, mulheres, podemos alcançar o lugar que quisermos na vida.

Uma mulher sendo a Deusa do Trovão é extremamente importante no âmbito da representação, e o fato de que as revistas protagonizadas por ela superaram as vendas das protagonizadas pelo Thor anterior em uma indústria que às vezes usa vendas fracas como motivo para cancelar uma série, torna difícil ignorar o quão poderosa está sua influência globalmente.
Thor (2014) #1 por Jason Aaron e Russell Dauterman (Marvel Comics)

  • Capitã Marvel

Carol Danvers elevou as heroínas a uma categoria em que vai ficar difícil superá-la. Ela já era uma mulher foda muito antes de receber seus poderes, quando era apenas uma piloto da Força Aérea Americana capaz de deixar Tom Cruise, de Top Gun, no chinelo. Faz parte dos Vingadores, sua melhor amiga é a Mulher-Aranha e tem um gato chamado Chewie .( Segura essa referência, fãs de Star Wars, aliás ela também é). Este primeiro volume mostra sua relutância em receber o manto de Capitã Marvel e é uma viagem no tempo sensacional destacando momentos ótimos e ultra feministas, como a luta pelos direitos das mulheres de voarem na Guerra, por exemplo. Carol vai ganhar um filme em 2018 e é uma das mulheres mais fodásticas da face da Terra. Amamos ♥
Capitã Marvel Vol. 1 “A Heroína mais poderosa da Terra” por Kelly Sue DeConnick e David Lopez (Marvel Comics) – (Lançado no Brasil pela Panini Comics)

  • Mulher Maravilha

A Mulher Maravilha foi uma pioneira feminista nos quadrinhos, sendo considerada um dos maiores ícones pop do sexo feminino. O criador da personagem o psicólogo William Moulton Marsto criou a Amazona em 1941. Por mais de 70 anos a princesa Diana foi o alicerce para a definição de “super­heroína”. Durante seis anos, até a morte de Marston em 1947, a presença da Mulher­ Maravilha foi crucial para a mudança radical na dominação masculina dos quadrinhos de super­heróis que se estabeleceria com o passar dos anos. Assim como Superman, a Mulher Maravilha está na Terra para propagar a verdade e a justiça, mas ao contrário do Azulão, Diana perseverou em seu papel anti­patriarcal. Princesa e embaixadora das Amazonas da Ilha de Temíscira. Filha de Hipólita, a rainha das amazonas. Foi para o “mundo dos homens” com a missão de propagar a paz, sendo a defensora da verdade e da vida na luta entre os homens e o firmamento, entre os mortais e os deuses. Essa é a Mulher­ Maravilha, uma mulher poderosa que se tornou parte da Trindade da DC Comics e apesar das mudanças em sua origem e comportamento ao longo dos anos, nunca deixou sua essência para trás. Se as mulheres existem e ganham destaque hoje nos quadrinhos, é por causa da Mulher­ Maravilha.
Wonder Woman, Vol. 1: Blood por Brian Azzarello e Cliff Chiang (DC Comics)


Se vocês sabem de mais heróinas maravilhosas e empoderadas deixa ai embaixo, comenta o que achou do post, vêm irmãs !



20 comentários:

  1. Acho bem legal o destaque que estão dando às mulheres no mundo dos super heróis ultimamente, mais que antes, pelo menos. Assisto às vezes Supergirl e apesar de não sair muito da mesma linha que os demais, tem uma história interessante. Adorei o post!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Carol, acho muito bacana também e mais que tudo , aquela sexualização que faziam delas está acabando, claro que a mulher pode ser sexy, como qualquer herói pode tbm, mas isso não é o principal deles né. Ainda não vi Supergirl, mas morro de vontade ver. Vou começar. Bjoo

      Excluir
  2. Oi, oi Lola!
    Eu não li as hqs e sou meio poser, mas adoro essas heroínas fortíssimas que levamos de exemplo! Adorei o post, apesar da minha favorita não estar por ai. A Canario Negro <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline, amo a canário, ele é maravilhosa também. Tbm não li todas pq é muitas mas é lindo ver elas sendo fodonas. Bjoo

      Excluir
  3. Supergirl, tempestade, electra <3333
    Da sua seleção minha favorita é a Mulher Maravilha, que sou fã graças a minha mãe que adorava as animações da Liga da Justiça.
    Adorei sua postagem Lola!! Adorei seu blog inteiro <333

    https://janeladememorias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi oi Carol , realmente faltaram tantas mas é tanta guria foda *-*
      As animações da Liga da Justiça é um tesouro de lindo. Que bom que tenha gostado do blog, não é meu não mas a Sil agradece. bjoo

      Excluir
  4. Olá, tudo bem?
    Gostei muito do seu blog, muito lindo, estou seguindo.
    Beijos
    Diário de Casada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tassia, muito obrigada por seguir e gostar do blog. Bem vinda á irmandade. <3

      Excluir
  5. Oi Lola,
    Amei suas dicas.
    Ainda estou dando baby steps no mundo das HQs, mas certeza que muitas delas quero conhecer.
    A Batgirl eu to vendo naquele desenho DC Super Hero Girls e amando kkkkkk

    bjs
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oooi Nana, A batgirl é maravilhosa, e vc acredita que essa animação ainda não vi?! Mas vou ver , valeu pela dica. Bjoo

      Excluir
  6. Oi Lola, sua linda, tudo bem?
    Adorei seu post, no início comecei a rir sozinha da sua descrição dos super-heróis e fiquei imaginando uma cena nos próprios quadrinhos deles ouvindo seu comentários,risos... Eu não sou especialista no assunto, mas lembro de uma que você não colocou aqui, não sei se tem quadrinho dela, lembro que tem desenho é a She-Ra, eu assisti muito He-Man eShe-Ra.

    OBS: Sil, estava sumida porque tive problemas com meu joelho, fui internada, mas agora voltei e já consegui colocar o blog mais ou menos em dia. Agora posso visitar os blogs que sigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oooi Cila, hahahha obrigada por gostar do post e eu tbm não sei se tem HQ do He-man. Mas talvez eu faça uma lista com desenhos tbm, existe muita mina foda . Um bjoo

      Excluir
  7. Ola,
    Heroinas são as melhores ♡
    Adorei conhecer algumas que nunca tinha visto.
    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Jess, heróinas é nossa personificação nas HQ, amo !
      Bjo bjo

      Excluir
  8. Amei o gif da Peggy no final ♥
    O bacana que tem algumas heroínas que eu não conhecia. Muito bom o post.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahhaha Luiza alem de fodona, de ter sido o grande amor do Cap , ela era totalmente badass, e se não bastasse tudo isso na Guerra hein?!
      Obrigada, bjo <3

      Excluir
  9. Olá Lola!
    Só acompanho os quadrinhos no cinema mas adoro quando as mulheres tem destaque, como por exemplo a Viuva Negra q aparece em todos os filmes dos rapazes. Das citadas tenho muita curiosidade de ler a Thor, adoro mitologia nordica e acho o traço muito bonito.
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - Participe do nosso SORTEIO do DIA DOS NAMORADOS <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thalita, eu tbm amo mitolia nórdica, alias todo tipo de mitologia. Acho que a Jane ter virado Thor é um passo maravilhoso. Pena que eu acho que isso não seja adaptado pro cinema, mas seria muito foda. E a Viuva deveria ter tido um filme solo, mas ela é girl power total. Bjo!

      Excluir
  10. Oi Lola, tudo bem? Adorei a postagem =D
    Realmente precisamos dar mais destaque as nossas heroínas.
    Eu confesso que conheço pouquíssimas, pois não acompanho as HQs, apenas os filmes :P
    Então é meio óbvio que infelizmente eu conheça melhor os homens :(
    Mas adorei conferir a postagem e deu até vontade de procurar essas HQs
    beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gislaine , o forte do Brasil não é as HQs, aqui é mais animações né, mas se puder leia as Hqs sim , é maravilhoso, não é caro e é muito viciante. Obrigada por gostar do post. Um bjoo

      Excluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.