22/08/2016

Filme: Equals



Título em português: Quando te Conheci
Direção: Drake Doremus
Distribuição: Imagem Filmes
Elenco: Nicholas Hoult, Kristen Stewart

No futuro, existe uma nova raça de seres humanos: os Equals, indivíduos pacíficos, justos e que não possuem mais emoções. Até que uma doença passa a ameaçar todos, ativando sentimentos em suas vítimas, que são excluídas do resto da sociedade. Silas (Nicholas Hoult) é infectado, mas percebe que Nia (Kristen Stewart) também possui sentimentos, sendo capaz de escondê-los. Sentindo pela primeira vez algum tipo de intimidade em suas vidas, eles decidem fugir.


Em uma geração onde distopia virou o foco de muitos filmes (e livros e etc) é quase impossível encontrar algum que tenha algo diferente do que as franquias famosas podem nos proporcionar: uma revolução. Não que eu esteja dizendo que esse é um aspecto negativo, longe de mim (eu até gosto); entretanto as coisas começam a ficar repetitivas, certo? Equals é um filme distópico voltado para o romance, focando muito mais seu enredo nos sentimentos de seus personagens do que na mudança da sociedade em si. Apesar de um tema mais adulto a descoberta dos personagens com as coisas tão comuns para nós, como o tocar das mãos, é algo extremamente... inocente, e também angustiante à partir do momento em que como expectadora eu me coloquei no lugar deles. Não consigo imaginar viver em um mundo onde olhar para alguém pode gerar desconfiança, o modo de conversar e o toque seja aquele mais carinho ou um simples aperto de mão.

Eu nunca fui uma pessoa "anti Kristen Stewart", apesar de achar que tem alguns filmes que ela fez que deixou a desejar, mas admito que ela é uma atriz que se encaixou muito bem no papel de Nia. E não digo isso pela falta de expressão da atriz que caiu como uma luva na personagem que devia fingir o tempo todo que não estava com "a doença" (sentimentos), mas também pela forma como ela expressa seus sentimentos com Silas ao longo da trama, a descoberta do amor em si e como isso se tornou tão intenso para ela. Apesar de não achar ela excelente nos momentos que exigem uma carga dramática maior eu também gostei justamente por não ser extremamente forçada. Nicholas é um caso à parte. Sempre gostei quando o vi em papeis mais dramáticos e que exigem algo mais dele e desta vez não foi diferente. Não me decepcionei e acho que pude sentir praticamente as mesmas coisas que ele, principalmente quando o filme vai chegando ao fim.

foto: google imagens
O filme tem referencias a clássicos da literatura distópica e sei que eu perdi alguns por não ter lido os livros, mas para quem leu 1984 (ou até mesmo viu o filme) vai notar de cara as semelhanças, assim como até mesmo Admirável Mundo Novo (falando aqui apenas dos que eu sei). Gostei bastante da fotografia e da paleta de cores usadas, principalmente nas cenas onde eles começam a se descobrir as escondidas. Aquele azul maravilhoso, com as sombras e todo aquele desfoque me deixou tipo com os olhos brilhando, sabe? O cenário é excelente e combina muito com o clima que o filme quer passar, com tudo muito neutro e pratico, casas funcionais e locais de trabalho sem interação com os outros.

Dica para o final de semana para os amantes de romance e/ou de distopia. ;)

12 comentários:

  1. Nunca li nem assisti o filme, mas já vi que parece ser super interessante. Já está anotada a dica :D

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oie Sil =)

    Não conhecia o livro e nem o filme, mas pelos pontos que você citou fiquei bastante curiosa. Realmente os livros de distopia nos últimos anos seguiram um padrão e o que me chamou a atenção foi o fato da história focar nos personagens e não tanto na sociedade.

    Eu até gosto da Kristen. O povo crucifica ela por Twilight, mas tem atriz bem pior que ela que todo mundo ama rs...

    Dica anotada!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sil!
    Gente, mas que nome BR é esse, Cristo Deus?!?!?!
    Enfim... Eu acho que a Kristen se deu mal mesmo em Crepúsculo porque já conferi outros trabalhos dela e achei que ela se saiu bem
    Não sabia desse filme, mas já anotei aqui pra assistir o mais rápido possível.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Oi Sil. Eu não gosto da atriz :P
    Acho ela sempre muito igual, em todos os papéis e cenas :(
    Mas a proposta do livro chamou minha atenção. Lembrei de Delírio, onde a doença que há é o amor ;)
    Confesso que não curti o livro e nem continuei com a série, mas ainda assim, a proposta é legal :)
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Já gostei do filme por causa da Kristen! ❤
    Ótima indicação.

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    To pra assistir esse filme, mas sempre acabo esquecendo.
    Título br mais fail o possível, como sempre.

    tenha uma ótima terça =D
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  7. Oi Sil,
    Não conhecia o filme, mas como gosto muito de distopia e romance, com certeza vai para a lista.
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  8. Amooo romance, parece ser muito bom! Eu fiquei muito curiosa depois do seu post. Ja ta anotado!
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Que intenso, não conhecia a história desse filme. Fiquei curiosa para ver rs
    Beijos


    http://www.cherryacessorioseafins.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Sil!!

    Pois é eu sempre achei engraçado o pessoal falar que romance é tudo igual quando eu vejo que muitas distopias tb são. Mas quando a gente gosta, a gente gosta, não tem jeito kkkkkkk Eu amo 1984 e ter o livro como referência pra mim já é super positivo. E não me importo em ver um filme com a Kristen não, se ela se encaixou no papel melhor ainda! Adorei a resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  11. Oi Sil, sua linda, tudo bem?
    Para tudo!!! Não conhecia esse filme. Adoro distopias, não me importo que sejam todas parecidas, mas confesso que ver algo diferente sempre enche meus olhos. Adorei essa ideia de colocarem ter sentimentos como uma doença, quero ver como irão desenvolver isso no filme. Vou procurar agora por ele. Sua crítica ficou ótima, traga mais.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.