25/08/2016

RESENHA :TETRALOGIA AS BRUMAS DE AVALON

Título: As Brumas de Avalon
Autor(a): Marion Zimmer Bradley
Editora: Imago
Volumes: 4
Onde comprar: Enjoei
As brumas de Avalon reconta a lenda do rei Artur pela primeira vez através das vidas, das visões e da percepção das mulheres que nela tiveram um papel central. Pela primeira vez, o mundo arturiano de Avalon e Camelot, com todas as suas paixões e aventuras – o mundo que, através dos séculos, cada geração recriou em incontáveis obras de ficção, poesia, drama – é revelado, como se poderia esperar, pelas suas heroínas – pela rainha Guinevere, mulher de Artur; por Igraine, mãe de Artur; por Viviane, a impressionante Senhora do Lago, Grande Sacerdotisa de Avalon; e principalmente pela irmã de Artur, Morgana, também conhecida como Morgana das Fadas, como a Fada Morgana – como feiticeira, como bruxa – e que nesta épica versão da lenda desempenha um papel crucial, tanto na coroação como na destruição de Artur. Trata-se, acima de tudo, da história de um profundo conflito entre o cristianismo e a velha religião de Avalon.

Esse livro mudou a minha vida, sério! Desde Harry Potter eu não lia algo tão incrivel como esses livros. Já faz uns 2 anos que eu os li e a história ainda se mantém quentinha  na minha memória.
È uma história envolvente, imagine Game of  Thrones + Rei Arthur. È exatamente essa tetralogia. 
È uma leitura complexa, a narrativa é lenta no começo, por isso algumas pessoas desistem dele fácil, mas se você se abrir a história, no segundo livro você já vai estar totalmente focado nela e nos personagens principais. Então vamos por partes, o primeiro livro é a A Senhora da Magia, que começa antes do nascimento de Artur e foca em Vivianne e Igraine, duas irmãs distintas em seus destinos. Igraine se casa com o Duque Gorlois e engravida de Morgana, mais tarde Vivianne têm visões de que Igraine se casaria novamente com o futuro rei da Bretanha, Uther Pendragon e que desse relacionamento nasceria aquele que libertaria a Bretanha das mãos dos Saxões e uniria os cristãos e os druidas. Os livros tratam assuntos polêmicos como religião, incesto, tragédias e tudo que existia naquela época.

A partir do segundo livro A Grande Rainha, já conhecemos a Guinevere, também já  somos introduzidos em rumos da história, e do jovem rei Artur finalmente se tornando rei precocemente. Nesse livro os conflitos amorosos e politicos já começam a se desenrolar, a narrativa já é mais fluida e elegante e você se torna um personagem da própria história. Eu me apeguei muito a Morgana, ela é forte, ela sofre mas sofre com elegância e em um tempo onde as mulheres eram apenas adornos de seus maridos, ela e as Sacerdotizas de Avalon eram a própria representação do feminino sagrado. Eu vi muito do feminismo a sua maneira nelas, eram outros tempos, onde ser mulher era apenas gerar filhos e se manter jovem e bela para seus maridos. Em contra  partida vemos Guinevere, devota ao cristianismo da época e muuuito beata. O ápice da luta do cristianismo da época para acabar com a  antiga religião druida, se vê nesse livro, incorporadas por Morgana defendendo a religião druida e Guinevere defendendo o cristianismo dos padres. E entre tudo isso, um rei que ama sua irmã ao mesmo tempo que precisa agradar sua esposa.

 De um livro para o outro, a passagem de tempo ocorre, então podemos sentir os personagens envelhecendo e isso me deixava muito na bad , porque parecia que eu estava indo junto, novos personagens vão aparecendo, novas histórias de amor, traição, guerras, lutas , religião com religião tudo vai se desenrolando, enquanto o reinado de Artur vai se consolidando na Bretanha e a lenda vai se formando. Lancelot, Mordred, Merlin são personagens fixos também, Merlin é apenas um titulo que passa assim que o outro morre, então um mais jovem assume o posto. Os dois ultimos livros vão encerrando toda a história e nisso você já está completamente dentro do universo deles e dá muita dor no coração quando acaba. O que eu mais gostei foi como cada um vê sua religião e esse livro me fez respeitar mais a religião alheia. Eu fiquei sem chão quando terminei e foi por esses livros que conheci umas das minhas séries preferidas, Merlin, que até já fiz crítica aqui.

 Não vou falar mais senão spoilers vão rolar, mesmo que a lenda arturiana seja famosa e conhecida,  mas aqui ela é recontada e vale a pena ser lida. Então leiam, e se apaixonem pela lenda arturiana como eu me apaixonei, e esses livros são tão fortes e importantes que várias adaptações são feitas baseadas nela e não na antiga leitura. Esse livro me fez crescer como mulher, me fez me amar mais, e um livro quando te ensina algo você nunca esquece. Espero que tenham gostado. Comentem <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.