02/08/2016

Série: Underground

Título: Underground
Gênero: Drama, Histórico
Ano: 2016 
Episódios: 10
Mais informações no Adoro Cinema
Um grupo de escravos planeja uma fuga por 600 milhas para longe da plantação onde são mantidos. Caçadores de recompensa são encarregados de trazê-los de volta, vivos ou mortos, mas eles recebem ajuda de um casal abolicionista para utilizar uma estrada de ferro clandestina.











Eu dificilmente gosto e acompanho uma série. É necessário muitos artifícios para me prender, muitos mesmo. Eu não queria ser assim, eu queria gostar de todas as séries pra poder acompanhar loucamente como fiz em Demolidor, Agent Carter, Marco Polo, e os doramas que são infinitamente muito mais. Então quando encontro uma série que eu realmente ame, tenho que falar sobre ela. 


No primeiro episódio de Underground eu já tive aquele feeling poderoso de arrepiar os pelos do braço e nos fazer enlouquecer. Na verdade, já na sinopse essa série me pegou. Sempre quis ver e ler algo sobre escravos que não fosse essas coisas pesadas e dramáticas e tristérrimas que já vemos por aí. 

Acho justo começar pela trilha sonora. Não sou a expert em trilhas sonoras que conhece todas as músicas de todos os filmes, não é assim. Acontece que por amar descobrir a música perfeita, eu amo trilhas sonoras. Mas aqui em Underground, o que é isso? É nessa série que vi em ação o efeito que uma boa música tem. A fotografia da série é maravilhosa, o roteiro, mas a trilha sonora... nunca tinha visto algo assim. E isso me marcou da mesma forma que Game of Thrones é marcado pelas mortes. E, detalhe; por ser uma série sobre negros, todas as músicas são cantadas por negros, todas as músicas têm um ar de periferia e protesto, e... não poderia ser mais perfeita. Por eu sempre ter querido ver algo tão representativo assim, definitivamente Underground superou todas as minhas expectativas. A série é maravilhosa, gente, mas a trilha sonora fez mais que a sua parte. 

Noah. Ah, Noah. Um herói negro e escravo que sempre quis ver em ação. Personagens negros que sempre eu quis ver em ação. Uma heroína negra que sempre quis torcer e acompanhar. Ideais que merecem ser restaurados. Memórias que têm que ser relembradas sempre e sempre e sempre. Noah é um escravo da fazenda Macon que é trago de volta depois de uma fugida, onde ele conhece outro escravo que lhe dá um mapa para a liberdade. Noah acredita na liberdade. Quando ele volta para a fazenda, ele faz os outros escravos também acreditarem na liberdade. E então ele começa a convocar algumas pessoas escolhidas a dedo. Ninguém que possa atrapalhá-los e que seja capaz de resistir e para isso que seja forte o bastante. Noah é forte, forte do tipo forte mesmo, e não tem medo de nada, de nenhuma dor e punição e tortura. E ele é incrível!

Rosalee não é como os outros escravos do campo, ela nasceu, cresceu e trabalha dentro da casa Macon. Embora para os outros escravos isso pareça favorecimento, ela não se sente dessa forma e nem está livre dos maus tratos. Rosalee, Rosalee. A representatividade com que nos vemos nos cabelos indomáveis dela e na sua cor e na sua luta. Foi uma boa experiência para mim. Rosalee me lembrou o que era amar e torcer para uma personagem.

Por fim, temos os casais Hawkes. Um advogado irmão do fazendeiro Macon, abolicionista, e Elizabeth, sua mulher, que apoia totalmente a sua causa. Sabem como é, né. Ele não poderia ter feito o que fez se sua mulher não fosse capaz de fazer o que fez. Acolher escravos fugitivos em sua casa e se arriscar a ser presa e a tantas outras coisas horríveis por pessoas que ela ao menos conhece? E então um boom. Dois. Três. Uma menininha escrava bate na sua porta e Elizabeth se vê nela como o filho que jamais teria. E ela luta por isso. E ela se arrisca por um amor filial que pode levar a sua morte. 

Existe várias descobertas, reviravoltas, bocas abertas, porque, algumas coisas realmente eu não esperava. Underground me surpreendeu do inicio ao fim, e embora eu me revoltando com algumas coisas, elas por sua vez foram as culpadas por eu colocar Underground no pedestal dos pedestais.




15 comentários:

  1. Oiii

    Não conhecia essa série. A TV aqui em casa está sempre dominada pelo Cartoon Network, Disney e cia... haha, então é dificil mesmo eu acompanhar uma série. No momento quero muito terminar as temporadas de algumas que já tinha começado, Quantico e The Magicians.
    Quando termine com essas duas, vou conferir Underground, adoro conhecer novas dicas.

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Vivi, sua linda, tudo bem?
    Eu só vi minissérie na TV falando de escravos, agora série na TV fechada é a primeira vez. E da forma como elogiou essa é imperdível. Vou procurar, ainda mais depois de uma trilha sonora como essa. Adorei a sua crítica. Dica mais do que anotada.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Estou louca por series novas, já que finalizei as minhas! haha Fiquei bem curiosa com essa, quero assistir também!
    Beijos, Jardim de primavera

    ResponderExcluir
  4. Oi, Viviane!
    Nossa ainda não conhecia essa série, mas amo descobrir novas séries vou procurar por essa loucamente! Nunca assisti nada do gênero!

    Beijos,
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, Viviane.
    Já tinha visto um post sobre essa série e já até anotei ela aqui para próxima maratona rs.
    Beijo
    Te Conto Poesia ♥

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia a série, mas pela sua resenha já vi que é ótima e já estou super curiosa :)
    Beijos,
    http://www.fabulonica.com/

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia essa série, mas amei a resenha. Já está na minha lista kk
    Parabéns pelo blog, já estou seguindo para poder acompanhar as novidades <3

    www.papomoleca.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Sil!
    Eu ainda n tinha lido nada sobre essas série, e sou que nem vc: pra gostar de uma precisa ser realmente boa e me prender de forma extraordinária! haha
    Me pareceu ser ótima! Adoro essa questão da trilha sonora super combinar, é lindo quando acontece! E o tema é bem forte né? Acho que vou conferir ;)
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vivi, agora que eu vi o nome, haha XD

      Excluir
  9. Oi Viviane,
    Não conhecia a série, mas achei bastante interessante o enredo.
    Quando tiver um tempinho vou pegar o primeiro episodio para ver.
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  10. Oi Viviane!

    Eu não conhecia a série, confesso, mas parece ser ótima, ultimamente ando vendo poucas, mas vou tentar conferir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  11. Oie Viviane =)

    Sempre que passo por aqui fico conhecer uma série nova. Vou anotar a dica aqui e assim que tiver um tempo vou procurar assistir alguns episódios ;)

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  12. Meu namorado tinha me falado brevemente sobre essa série, achei super interessante mas na verdade não lembrava o nome. Nunca assisti e já estou bem curiosa para conhecer :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi, Viviane. Tudo bem?

    Tinha ouvido sobre a série mas ainda não tinha lido nada sobre ela e, nossa, o que eu fiz esse tempo todo de minha vida que não tô assistindo essa série?
    Adorei a temática, os pontos que levantou e, principalmente os clichês que ela não traz: já vou maratonar pq, né?!

    Muito muito muito obrigada pela diga, estava procurando uma série pra me apaixonar e acho que encontrei <3

    Um beijo!
    Crônica sem Eira
    Participe do Sorteio de 2 anos do Blog Livros: Hoje, Ontem e Sempre

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia essa série nem de nome, mas o plot parece super interessante e tudo que você disse só serviu pra me deixar mais curiosa. Provavelmente assistirei, assim que tiver tempo haha. Beijos!!


    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.