19/10/2016

Resenha: Placebo Junkies


Título: Placebo Junkies
Autor(a): J.C. Carleson
Editora: Fábrica 231
Páginas: 304
Livro cedido em parceria com a editora Rocco
Audie é uma jovem como qualquer outra, mas encontrou uma forma incomum de descolar uns trocados: ela serve de cobaia para a indústria farmacêutica. Neste irreverente romance, J.C. Carleson, ex-agente da CIA, mergulha no universo pouco conhecido, mas muito impressionante, dos voluntários em série de testes farmacológicos. Na tradição de Trainspotting e Drugstore Cowboy, doses cavalares de humor negro disputam espaço na trama com o drama de jovens que vivem no limite. No caso de Audie, ela precisa juntar dinheiro para oferecer a Dylan, seu namorado que tem uma doença terminal, uma festa de aniversário de 18 anos inesquecível. “Não há ganho sem dor”, ela repete, em meio aos efeitos colaterais das substâncias e procedimentos a que está sujeita e aos esquemas para lidar com eles. Mostrando as entranhas de um mundo desconhecido da maioria das pessoas, Placebo junkies arrancou elogios da crítica com sua narrativa original e completamente viciante.

Depois que comecei a trabalhar nenhum livro me prendeu de uma forma que eu fiquei "omg preciso terminar logo essa história" até que comecei a ler Placebo Junkies e simplesmente senti a necessidade de devora-lo. A premissa, eu confesso, pode não atrair qualquer pessoa mas quando o leitor da uma chance eu posso garantir que irá se surpreender ao longo da leitura.

Audie é uma adolescente americana do tipo clichê se você esta falando sobre uma história com adolescente desestruturada. Para ganhar dinheiro ela "vende" seu corpo. Não, obviamente eu não estou dizendo que ela se prostitui e sim que ela é cobaia para testes farmacêuticos. Durante toda a história ela conta um pouco sobre como é ter essa profissão e o que isso tira das pessoas, seja a longo prazo ou não. Audie é uma personagem que até o leitor entende-la de verdade causa bastante confusão. Eu acho que por mais que estivesse gostando da leitura e achando bem interessante a forma como a autora escolheu tratar do assunto eu ainda não estava compreendendo a personagem da maneira como eu deveria compreender, sabe o que eu quero dizer? O que realmente me fez gostar do livro no final foi a surpresa de, finalmente, entender a personagem e as pessoas ao seu redor da forma como elas realmente são.


Acha que o que eu estou escrevendo esta confuso? Pois imagine ler um livro inteiro narrado por uma personagem que esta sempre com algum remédio diferente nas veias. É difícil saber quando ela esta exagerando com algum sentimento, ou se ela realmente pouco se importa; até mesmo sobre sua atenção e pessoas com quem ela conversa. Tudo fica um pouco confuso e cada detalhe é importante para compreende-la.

Apesar do tema do livro ele se trata muito mais de um romance do que qualquer outra coisa. E eu não estou dizendo que é aquele tipo de livro YA em que existe o drama adolescente do amor. Muito pelo contrário, o livro esta tão longe disso que é difícil explicar sem dar spoiler. Mas Audie tem Dylan, um adolescente que ela conheceu no hospital em um dos experimentos. Eles tem um bom relacionamento e ela planeja uma grande viagem para eles, na verdade sua maior desculpa para continuar "nessa vida" é o dinheiro para a viagem com Dylan. O relacionamento deles é todo lindinho e gosto da forma como eles combinam um com o outro e claro no quanto esse relacionamento é importante para o desenvolvimento da personagem sendo ele positivo ou negativo, dependendo do seu ponto de vista como leitora.
Somos pessoas com cadeiras vazias em nossos funerais.

É um livro bom de ser lido, que pode te despertar curiosidade para dois assuntos diferentes (sendo um deles bem óbvio pela premissa do livro) que são vistos com maus olhos pela sociedade mesmo nos dias de hoje. No final do livro a autora conta como foi a inspiração para a obra e achei muito legal, pois é uma realidade diferente da que vivemos mesmo que seja algo comum (ou seja: nós é que não prestamos atenção).

5 comentários:

  1. Oiii Sil

    Se não me engano está para ser publicado um novo livro da Stephanie Meyer que aborda o mesmo assunto, porém é mais distopia creio. Lembrei dele quando comecei a ler a resenha.
    Nunca tinha escutado falar de Placebo Junkies, meu Deus, tanto livro bom por ai e a gente nem conhece. Achei a temática legal, diferente e me surpreende estar mais para romance. Te confesso que pela sinopse não chega a chamar tanto a atenção mas após ler a resenha a gente fica curioso pra descobrir o que te prendeu tanto.
    Gostei da dica

    Beijokas

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  2. AHH MEU DEUS, VOCÊ LEU PLACEBO JUNKIES! MIM DÁ!!
    Tô doida doida doida por ele desde o lançamento, e essa é a primeira resenha que leio a respeito. Fiquei mega feliz em saber que atingiu suas expectativas ♥
    Imagino o quão confuso deve ser a narrativa, visto que a protagonista está sob o efeito dos remédios! Talvez seja até o fator empolgante, já que nos dá a dúvida de se aquilo é real ou ela está só alucinando.
    Mas tem explicações científicas ao decorrer do livro? Sobre as experiências, o que eles estão tomando, qual o intuito, etc? Esse lado científico me interessa bastante na história além do toque YA, então tô torcendo muito pra ter!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Que capa legal! Ainda não conhecia esse livro mas adorei e achei super diferente haha. Vou colocar na minha wishlist. Bjs

    www.mayaravieira.com.br

    ResponderExcluir
  4. Nao senti muita curiosidade quando a editora mandou esse livro nos lançamentos, mas agora com sua resenha me arrependi de nao pedir ele kkkkk
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oie
    Acabei de ler uma resenha sobre este livro em outro blog, achei o tema dele bem diferente, mas é curioso Fiquei com vontade de ler.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.