25/01/2017

Para bugar a cabeça: The OA


Eu tava lá de boa em Dezembro sofrendo com a minha vida quando de repente papum: a Netflix lança uma série nova DO NADA e que já chega bugando a cabeça das pessoas no primeiro episódio. Sim, estou falando de The OA, que foi uma das melhores coisas que eu vi em 2016 mesmo sem entender praticamente nada. Pois é, meus leitores. Praticamente nada.

Mas nem sempre quando a gente não entende algo significa que seja ruim, certo? Porque apesar da série ter me bugado e eu ainda estar bastante confusa com o lance dos movimentos, de que é verdade ou mentira ainda assim a série me causou sensações que eu não sei realmente explicar mas que chega próximo a emoção. Então eu vou aqui tentar te dar uns motivos para assistir The OA o quanto antes.

Personagens fora do comum

As vezes é bem clichê uma série colocar personagens fora da caixa para contar algo, mas com The OA isso realmente funcionou. O enredo principal da história é sobre a garota cega que desapareceu por sete anos e quando retornou para a casa estava enxergando de novo, então se já de cara a protagonista tem algo estranho (e mais coisas sobre ela vamos descobrir durante a temporada) porque seus novos amigos deveriam ser comuns? Tem o menino trans, o garoto nerd, a professora tipica americana que vemos em filmes mas nunca sabemos a sua verdadeira história e por aí vai.

Ver para acreditar

Eu sou uma pessoa muito cética, então obviamente a todo momento eu acreditava em algo e depois desacreditava como se antes nunca tivesse acreditado. E isso durou ao longo da série, então quando chegou no último episódio eu fiquei bastante confusa pois ele tem esses altos e baixos à todo o momento. O fato é que o espectador tem que ter a cabeça bem nos eixos para assistir e conseguir se concentrar no que acreditar e no que não acreditar.

As mais variadas formas de amor

Se tem uma coisa que sempre me chama atenção em livros, séries e filmes é nesse sentimento bobo e lindo que o ser humano tem, por natureza, em si: o amor. E eu não digo no amor romântico, apesar de ser o que mais chama a atenção. Eu não vi ninguém comentando sobre isso, até porque com tantas teorias que o povo cria em cima da série isso acaba sendo só mais um tópico comum sobre ela e ok. Mas veja se não é lindo o amor incondicional que Prairie sente pelo seu pai biológico? Ou até mesmo o amor que a mãe adotiva tem pela Prairie, com a sua preocupação exagerada e seus cuidados que parecem ter sido errados mas que quando se é mãe parece ser tão compreensível. Sem falar no amor que o grupo de amigos acabam tendo um pelo outro mesmo sem perceber? Aaaah, o amor é uma coisa linda demais e é o que deu um toque especial da história.

Teorias

Se você é desse tipo de pessoa que quando assisti algo fica matutando tudo então essa série é perfeita para você. Só dar uma olhada nos grupos e foruns por ai para saber que existem diversas teorias sobre essa série e até vídeo comparando Stranger Things com ela a própria Netflix divulgou hahahaa. Então assista, tire suas conclusões e faça sua teoria e claaaro, compartilhe comigo pois eu amo teorias (mas odeio cria-las.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Sil!
    Eu gostei muito da série, mas aquele final foi bem paia se comparado com o todo.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Quatro Anos de Minhas Escrituras

    ResponderExcluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.