31/03/2017

Resenha: Eu Estou Pensando em Acabar Com Tudo


Título: Eu Estou Pensando em Acabar Com Tudo
Autor(a): Iain Reid
Editora: Fábrica 321
Páginas: 224

Livro cedido em parceria com a editora Rocco
No romance de estreia do canadense Iain Reid, Jake conduz o carro em que ele e a namorada, que narra a história, vão à fazenda dos pais do rapaz. Durante a longa viagem por estradas desertas e escuras, a garota, atormentada com a perseguição de um homem misterioso que deixa sempre a mesma mensagem de voz em seu telefone, pensa em encerrar o relacionamento com Jake. Mas talvez seja tarde demais. Reid, que tem dois livros de não ficção elogiados pela crítica e contribui para veículos de prestígio como a revista New Yorker, une, numa narrativa profundamente psicológica, tanto referências de terror clássico, quanto elementos de suspenses menos tradicionais, sustentando a trama para além das limitações inerentes ao gênero. Um thriller denso que esconde, em meio ao medo provocado pela sensação de uma tragédia iminente, alegorias sobre a própria vida ser uma tragédia anunciada.

Você sentira medo. Mas não saberá dizer por que...

Começo a resenha com essa frase que esta na contra-capa do livro porque foi exatamente assim que me senti durante a leitura. Um medo, uma sensação estranha misturada com agonia... algo bem inexplicavel e que poucos (ou nenhum) livros conseguiram tirar de mim em tao poucas paginas. Eu Estou Pensando em Acabar Com Tudo é aquele tipo de livro que poucas pessoas vão falar bem na blogosfera, disso eu tenho certeza. Ele é confuso até suas últimas dez páginas e mesmo após o fim ainda deixa a sensação de algo inacabado, porém ao meu ver isso que o caracteriza como um ótimo livro.


Nesta obra temos a narradora, que vai contando ao leitor sobre sua primeira viagem com o namorado Jake e nesse embalo algumas lembranças da infância e de como eles se conheceram. Tudo já é um pouco sinistro desde o começo, quando ela fala sobre algumas ligações que recebe e de algo que a persegue desde muito nova. Todos os diálogos do casal no carro tem algo um pouco filosófico e que não parece fazer muito sentido até o desfecho da historia. Aos poucos na minha "vida de leitora" fui me descobrindo uma grande amante de diálogos, então quando um livro tem esses diálogos mais profundos eu acabo gostando mais facilmente. Eu não garanto que a minha compreensão seja sempre cem por cento, mas sempre alguma coisa eu acabo guardando e sei que ali vai ter algo que irei aproveitar em uma releitura, caso um dia venha a fazer. Então obviamente o livro me ganhou também nisso.

Nao vou dizer que o livro tenha um final surpreendente, mas ele também não é previsível. O autor foi conduzindo a historia de uma forma que o leitor consegue ir encaixando as peças e isso faz com que a compreensão final não seja tao chocante ou estranha. Sao coisas que quando vamos percebendo ficamos do tipo "como que eu não vi isso antes??" e ai para garantir que aquilo realmente estava no livro antes temos que voltar algumas paginas (eu pelo menos fiz isso umas duas vezes).
- Às vezes um pensamento esta mais próximo da verdade, da realidade, do que uma ação. Você pode dizer qualquer coisa, pode fazer qualquer coisa, mas não pode forjar um pensamento. 

Se você é fã de thriller psicológico então eu aposto que ira gostar desse livro, ou pelo menos de algumas coisas nele. De todo o mais, mesmo se não goste, é um livro que vale a pena o debate com os amigos e leitores... então se você leu e gostou ou até se odiou venha conversar comigo pois eu não conheço ninguém que tenha lido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.